Café com Lesbiandades - Faces do Medo

| |
Olá Lez Girls queridas do meu “Café”!!! Ai deu um medinho de não dar temp... (Ah, não! Chega de falar desse moço!). O importante é que estou aqui e o bule já está no fogo esperando o pó! Então, vamos que vamos que o Sol da 5ª feira já está quase no meio do céu... Assim, daqui a pouco vou ter que servir é o “Chá das Cinco”! Não mesmo... nada de costume inglês por aqui (risos). E o ingrediente dessa nossa mistura, foi sugestão baiana. Surgiu de um bate-papo, onde debatíamos a ação do medo sobre a vida das pessoas. “Taí Charlotte, um bom tema para o Café!” Por isso, meninas, como discussão da semana: “Faces do Medo”. Para tal, partiremos de dois focos. O medo que protege e o medo que limita.

“Todos sabemos que o medo é uma reação protetora e saudável do ser humano. O medo "normal" vem de estímulos reais de ameaça à vida.” (Rosemeire Zago – Psicóloga)

Sentir medo me incomoda muito. Um incômodo gerado por sofrimentos... peças que a “Mãe Vida” nos prega no decorrer de nosso respirar. Principalmente porque tenho dificuldades em saber, até quando esse sentimento que chamo “medo” está me protegendo ou me limitando... Zelando por minha vida ou me impedindo de viver... Me escondendo das maldades humanas ou me atrapalhando a conhecer pessoas incríveis e especiais... Evitando que eu cometa falhas ou me tirando a oportunidade de crescer, aprendendo com meus erros!

Foi questionando o meu pensar que entendi que é preciso encontrar o meio termo disso... Que se faz necessário perceber a linha de divergência entre as “Faces do Medo”. Afinal não quero ser colocada na platéia do filme de minha própria vida.


A “fobia” protetora é aquela que nos afasta de perigos reais. Ter medo de fumar e desenvolver um câncer. Usar drogas e destruir os sonhos. Ingerir bebidas alcoólicas e provocar acidentes. Cometer crimes e perder a liberdade. Atravessar no farol vermelho... Comer comidas estragadas... Envolver com pessoas perigosas e de índole ruim... Fazer um péssimo trabalho... Trair, mentir e enganar... Maltratar... Pré-julgar o outro antes mesmo de se dar a oportunidade de conhecê-lo... Sem a certeza, o medo limita.

“Afirma-se que o medo é o maior inimigo do homem. O medo está por trás do fracasso, da doença e das relações humanas desagradáveis. Milhões de pessoas têm medo do passado, do futuro, da velhice, da loucura e da morte. O medo é um pensamento em sua mente e você tem medo dos seus próprios pensamentos.” (O Poder do Subconsciente - Dr. Joseph Murphy).
Temos que tomar o cuidado para não nos perdermos em “achismos”. Prática comum na atual conjuntura de um mundo capitalista e imediatista. Onde desconfiamos de tudo e de todos. Nos envolvemos numa teia de preconceitos, desenvolvendo neuras e fobias doentias que nos afasta das pessoas. Eu não quero viver dentro da bolha do medo. Quero sentir o pulsar da vida dentro do peito. Mesmo que esse “peito” esteja aquecido pela dor de um sofrimento. Ah... eles passam e ensinam também!!! Desejo envelhecer vivendo, conhecendo, aprendendo, amando... pagando um preço que seja. O que não pretendo é me arrepender de não ter tentado, de não ter corrido riscos. Dizem que pra ser feliz, é preciso coragem! Só assim serei, quem sabe, uma avó cheia de histórias pra contar.

“Você nasceu apenas com dois medos: o medo de cair e o medo do barulho. Todos os seus outros medos são adquiridos. Livre-se deles. A maioria dos seus medos não têm base na realidade. Constitui apenas um conglomerado de sombras sinistras e as sombras não têm realidade. (O Poder do Subconsciente - Dr. Joseph Murphy).




Protejam-se, sim... é claro!
Mas não permitam que os medos limitem os sonhos!
Muitos Beijos! E muita Luz de coragem!!!
Opinem Lez Girls... sem medo!

9 comentários:

Ni disse...

O meu maior medo é perder a minha menina. As vezes penso que estou sufocando demais ela e, então, procuro me afastar e dar espaço. Mas quando o faço, sinto que estou perdendo e desgastando nossa relação. Aliás, relação bem difícil.Cada dia um humor bem diferente.

O café estava ótimo.
Beijo à todas aí.

Papillon amie disse...

Oi, Charlotte!!

Salut, les filles!! (Oi, meninas!!)

Um dia desse falando com uma amiga sobre uma situação que estava vivendo ela me falou: “ – amiga, você está com medo de ter medo...” é eu estava com medo de ter medo!! Imagine isso?!

O meu medo sempre vem para me proteger mas ele não me e impede de andar, de sair de crescer, de caminhar..... mas o medo de ter medo foi algo novo na minha vida e resolvi enfrentar essa novidade e não me arrependo....estou sempre aprendendo com á vida e deixo para me arrepender do que faço e não do arrependimento de não fazer algo e de não enfrentar o novo...realmente acredito que o medo nos protege quando ele não é excessivo..afinal tudo em excesso não presta e isso serve para o medo também...

Segundo minha amada amiga Peh Noir em dos seus comentários: “....O risco é inerente a vida!! Ou viveremos em uma suposta bolha de proteção imaculada....”


Hoje temos uma nova modalidade de Transtorno que é a Síndrome do Pânico ou T.P. Que é um medo excessivo e com dose de ansiedade:

“O transtorno do pânico ou síndrome do pânico é uma condição mental psiquiátrica que faz com que o indivíduo tenha ataques de pânico esporádicos, intensos e muitas vezes recorrentes. Pode ser controlado com medicação e psicoterapia. É importante ressaltar que um ataque de pânico pode não constituir doença (se isolado) ou ser secundário a outro transtorno mental. “

“O cérebro produz substâncias chamadas neurotransmissores que são responsáveis pela comunicação que ocorre entre os neurônios (células do sistema nervoso). Estas comunicações formam mensagens que irão determinar a execução de todas as atividades físicas e mentais de nosso organismo (ex: andar, pensar, memorizar, etc). Um desequilíbrio na produção destes neurotransmissores pode levar algumas partes do cérebro a transmitir informações e comandos incorretos. Isto é exatamente o que ocorre em uma crise de pânico: existe uma informação incorreta alertando e preparando o organismo para uma ameaça ou perigo que na realidade não existe. É como se tivéssemos um despertador que passa a tocar o alarme em horas totalmente inapropriadas. No caso do Transtorno do Pânico os neurotransmissores que encontram-se em desequilíbrio são: a serotonina e a noradrenalina.”

www. pt.wikipedia.org/wiki/Transtorno_do_pânico




O medo que estamos falando é outro esse “ é um sentimento que proporciona um estado de alerta demonstrado pelo receio de fazer alguma coisa, geralmente por se sentir ameaçado” seja por experiências já vividas ou por algo que não conhecemos.

Então vamos sim usar nossas experiências como proteção e se repeti-las o sofrimento nunca será o mesmo porque já sabemos onde estamos pisando e por isso não devemos ter medo de enfrentar as situações que nos são apresentadas e sim o usar o medo do novo ou do já vivido apenas como escudo e não como obstáculo para não caminhar e paralisar!!!


Deixo para vocês: Carlos Drummond de Andrade

O Medo.

Em verdade temos medo.
Nascemos escuro.
As existências são poucas:
Carteiro, ditador, soldado.
Nosso destino, incompleto.

E fomos educados para o medo.
Cheiramos flores de medo.
Vestimos panos de medo.
De medo, vermelhos rios
vadeamos.

Somos apenas uns homens
e a natureza traiu-nos.
Há as árvores, as fábricas,
Doenças galopantes, fomes.

Refugiamo-nos no amor,
este célebre sentimento,
e o amor faltou: chovia,
ventava, fazia frio em São Paulo.

Fazia frio em São Paulo...
Nevava.
O medo, com sua capa,
nos dissimula e nos berça.

Fiquei com medo de ti,
meu companheiro moreno,
De nós, de vós: e de tudo.
Estou com medo da honra.

Assim nos criam burgueses,
Nosso caminho: traçado.
Por que morrer em conjunto?
E se todos nós vivêssemos?

Vem, harmonia do medo,
vem, ó terror das estradas,
susto na noite, receio
de águas poluídas. Muletas
do homem só. Ajudai-nos,
lentos poderes do láudano.
Até a canção medrosa
se parte, se transe e cala-se.

Faremos casas de medo,
duros tijolos de medo,
medrosos caules, repuxos,
ruas só de medo e calma.

E com asas de prudência,
com resplendores covardes,
atingiremos o cimo
de nossa cauta subida.

O medo, com sua física,
tanto produz: carcereiros,
edifícios, escritores,
este poema; outras vidas.

Tenhamos o maior pavor,
Os mais velhos compreendem.
O medo cristalizou-os.
Estátuas sábias, adeus.

Adeus: vamos para a frente,
recuando de olhos acesos.
Nossos filhos tão felizes...
Fiéis herdeiros do medo,

eles povoam a cidade.
Depois da cidade, o mundo.
Depois do mundo, as estrelas,
dançando o baile do medo.

Carlos Drummond de Andrade
In A Rosa do Povo
José Olympio, 1945
© Graña Drummond
http://www.algumapoesia.com.br/drummond/drummond20.htm

vivi disse...

Olá! Nossa que café!!! Confesso já estou com medo. Sim. Esse senhor ultima mente... tem me acompanhado bem de pertinho rsrs... São meus medos, os medos das pessoas que amo e das pessoas que não amo, das pessoas que gosto e daquelas que não gosto rsrs... Enfim medo singular, medos coletivos... Não vejo o medo como algo negativo, pelo contrario procuro respeita-lo ao máximo. Só assim...Tenho o real valor da minha coragem. Quando se respeita não se tem medo... "Eu respeito a vida!... E não tenho medo de vive-la!..." Talvez não dá maneira que eu deseje, mas como me é possível... E coragem, para enfrentar, pois tudo que respeitamos é porque nós é querido e caro... E o medo me é querido. É ele que me DÁ... limites... mas não me impõe limites. Tenho medo da perda. Mas medo maior tenho de não supera-la rsrs... Mas coragem suficiente para pensar nela. Tenho medo de fatos que acontecem que mudam nossas vidas e a deixa de cabeça para baixo num piscar de olhos. Sim, tenho muitos medos... mas sempre procuro ve-los da maneira mais natural possível... para assim naturalmente enfrenta-los... Afinal estou viva... é natural... senti-los, como também supera-los... Já te disse uma vez... amooo... a LUZ... e essa hoje em particular. Se vc não se importar gostaria de compartilha-la, bem como esse seu texto com alguns amigos(as) que estão passando por uma fase onde o medo se faz bastante presente e trazendo muitas incertezas... Abraços a todas... E um ótimo final de semana...

Maga disse...

TIA CHAR... nossa quando vi que já tinha passado de quinta e ainda estava viajando, meu deus! a primeira coisa que fiz foi ler seu café, que por algum acaso muito inspirador. que até me fez pensar, será que eu sou muito louca ou normal? porque medo de coisas físicas ou "escuros" (altura, animais, filmes) acho que medo de verdade eu nao tenho, isso eh possivel ?! ou medo de perder as pessoas já eh considerado isso ??!?! oh, esta tia char que fica fazendo a gente pensar e pensar... =S
nos pergutarem e refletirem...
mas para mim estas coisas como medo e sentimentos saum meio diferntes com cada um. acho eu ! sem contar as emoções físicas que dizem do medo de dilatar pupilas, acelerar corações, que são as mesmas do amor... e tals
tia char, beijo para voce!!

Paula disse...

Oi Charlotte, demorei a aparecer, mas enfim... o tema dessa semana nos faz pensar, vasculhar lá no fundo e verificar como estamos vivendo, se nos escondendo nos nossos medos ou enfrentando... como vc bem colocou, o medo é algo bom, protetor, todos nós sentimos, é intintivo, o problema é quando deixamos de fazer coisas importantes por medo... medo de fracassar, de sofrer, de magoar, de ser ridículo... enfim medo. Estou tentando ser mais corajosa...enfrentando meus medos, não é fácil, mas quando vc consegue percebe como foi idiota em não ter tentado antes... é isso... ter medo é normal, ter coragem é reconhecer o medo e não deixar que ele te trave, te impeça de seguir em frente! Coragem a todas!Bom fim de semana! Bjss.

Dhara disse...

Olá Tia Charlotte! Ou prefere tia Char? Nossa, já não sei como techamar! Olha, dei uma sumida né? Mas estou sempre por aqui, observando, lendo os arquivos, me inteirando. Só não tá dando pra comentar seu café. O que tá acontecendo Chalie? Bom, a facu deu férias então posso voltar aos comentários. Tava com saudades, sabe que sou sua fã né?
Medo, esse é o tema, certo? Mas medo só tenho de perder! Odeio perder.
Mas Tia charlotte, quero mesmo é falar de você. Nossa, a mineira judiou! Mas você é forte! Tem que aceitar o fato de ter sido trocada. Afinal, estamos falando da madre superiora, os olhos que tudo vê. Ihhh, daqui a pouco a Papi vai dizer que vocês são a mesma pessoa de novo.kkkkk
Charlotte, desculpe a brincadeira, afinal a Margareth, já disse que vocês são só amigas. Olha senti que os sabores dos últimos cafés estão diferente. Fique bem Tia, devia dar chance pra pessoa certa. Agora de férias, quem sabe não conseguimos nos falar no msn.kkkk. Ainda tem o meu? Fique bem Charlotte. Precisa voltar a forma. Sabe que te adoro. Beijos

Meninas, estava com saudades. Beijos pra vocês.

Charlotte disse...

Dhara, menina.. pensei que vc tinha sido sequestrada por extraterrestres!!! E pelo visto, vejo que não perdeu seu senso de humor.kkkkkkkk...
Moça, ninguém judiou de ninguém aqui, muito menos foi trocada...(Eu hein...kkkkkk) São apenas pessoas interajindo, se divertindo, trocando idéias, experiências... se informando... enfim, você já conhece os objetivos do nosso espaço! Acho que deveria participar mais e observar menos, criança!!! Assim conheceria as pessoas que estão sempre conosco, no Fórum e nos comentários!
Olha Dhara, tenho feito grandes amigas por aqui e Margareth é uma delas, com certeza. Se vc interajisse mais, quem sabe não o seria também?!!! Tente... te acho uma graça e sempre gostei de seus comentários. Bom saber que está por perto.
E mocinha, não se preocupe comigo, estou bem! O que está acontecendo é que estou trabalhando muiiiitooooo!!!Afinal, como dizem por aí, ainda há vida inteligente fora da Net. Estaremos entrando de recesso, como deve saber (já que lê os arquivos...rsrsr). Espero que na volta, os sabores do "Café" lhe sejam mais agradáveis, Ok? Ah... se nos encontrarmos no MSN, ou no fórum... podemos sim nos falar..Claro!!! Só que, sinto muito, Charlotte não está disponível (Uêêpaaaa!!!kkkkkkkk). E no virtual...não rola, OK?!
Dharinhaaaa...eu e as garotas te esperamos no fórum...vai lá! Também tenho carinho por vc... Aproveite bem as férias...Beijo pra vc! ai..ai..ai...é cada uma...kkkkk

Charlotte disse...

Meninas, tudo bem?!...Olha, a rotina da Char já tá quase dando trégua...rsrsr...Ufaa!!!

Ni...converse com ela! Ouça o que ela tem a dizer... faça do diálogo a base da relação de vocês! Desejo que sejam muito felizes...seja bem vinda e volte sempre no nosso espaço!!!Beijos...

Ei Papi, agora já me acostumei... Seus comentários com participações especiais, rsrsr. Informações e poemas...muito bom! Medo de ter medo, isso atrapalha baiana... limita! Melhor pagar pra ver...não?Beijão.

Nada de medo Vivi, solte sempre o verbo... Sabe que gosto! Sentir medo comedido...protege! O que não podemos é deixar que ele nos domine... nos isole. Oriental, quanto a compartilhar.. fique a vontade. Você sabe que pode e deve! Muita Luz pra vc!

He..He..He, Maga... Só de bobs...viajando...Fériaaassskkk...Hum..então, meu "CAfé"...tá inspirador e te fazendo pensar...Adorei isso Magaaa...rsrsrs . Pensar faz bem...é bom.. Mas também tem que...agir! Sei que age...kkk Uma graça seu comentário...Beijinho...

Oi Paulinha, o que é isso...o importante é que está aqui, contribuindo com seu comentário. Sempre tão sensata em suas palavras. E está certa...Ouvi dizer, que pra ser feliz é preciso coragem... Um grande beijo pra vc!

Beijos...tudo de bom e muita Luz pra todas!!!

vivi disse...

Olá!... Que bom Charlotte... rsrs... Ui! Gostoso... como sempre adoro seus retornos rsrs... Hummm!!! Né... vero!!! Pode deixar... E muito obrigada!!! Hehehe... já compartilhei rsrs... Beijus e bom descanso. Logo, depois do café saideira né rsrs...Lindas!!! Ótimo final de semana a todas...

Pingar o BlogBlogs

pro seu blog

Copyright © 2008 The L Word - Blog Brasil. All Rights Reserved